A escolha da primeira bike

art1-img2A escolha da primeira bike é muito complicada, porque muita gente vai na loja e o vendedor vai querer vender a bike mais cara porque, obviamente, o lucro dele é maior, no entanto, daria pra dizer que temos 3 níveis de bicicletas e cada uma tem a sua função, o seu uso. E é exatamente onde você tem que primeiro focar. Qual o uso que vc quer dar pra sua bike? A única questão fundamental antes de começar a escolher, é saber o tamanho de bicicleta que você precisa. Bike é que nem roupa, se tiver apertado ou folgado não fica legal. Tanto é que existem o chamado bike fit que é pra fazer o ajuste fino da bicicleta, mas para quem quer somente passear, não vai precisar gastar com bike fit, então você tem que saber o tamanho da bicicleta para comprar. E não é aro, é tamanho do quadro.

O que muda de uma bike para a outra é a altura até o pedal e a distância entre o banco e o guidão. Se a segunda distância ficar grande demais, você terá que deitar na bicicleta e terá dor nas costas. Pode ficar muito justo e ter dores nas pernas também, então ela deve ser do tamanho certo para você. As bikes são fabricadas em polegadas que é o básico. Alguns fabricantes colocam só como pequeno, médio e grande. Você deve ver a tabela de polegadas para saber o que é referente ao tamanho que você quer. Sabendo disso, não tem como comprar a bicicleta errada em questão de tamanho.

Ajustar o banco é muito fácil, basta aumentar ou diminuir, porém o quadro não terá como alterar, então tome muito cuidado e teste antes de comprar. O bike fit te ajuda muito nisso, o investimento ajuda a economizar na compra da bicicleta que não é tão barata hoje em dia. Todas essas questões te ajudarão a pedalar com conforto.

A outra questão é saber em que terreno você vai andar de bicicleta. Ciclofaixas, parques e onde não tem muita subida, você pode comprar uma bike mais barata, usando só aos finais de semana, andando 10km a no máximo 20km, fazendo as contas dá de 50km a 80km por mês, então bikes com preços de 600 a mil reais darão conta do recado. Em muitos casos nem é necessário suspensão. Agora se você vai pegar uma trilha e vai andar de 50km a 60km por semana, o que dá uns 200km por mês, então a bike vai custar de mil a dois mil reais, no mínimo.

Devemos prestar atenção no câmbio porque tem que ter uma relação de transmissão que também dá uma diferença na mudança de preço, ou seja, se você vai para uma trilha e tem uma bicicleta de 24 marchas, principalmente no Brasil, onde tem muito sobe e desce, faz muita diferença. Tendo a coroa grande atrás e a pequena na frente, você alivia qualquer subida. Enquanto as de até mil reais tem só 21 marchas, o que só dá para pequenas subidas, o que não facilita tanto.

art1-img1Analisemos o quanto vamos pedalar e onde vamos pedalar, se tem muita subida parta para uma de 24 marchas. Se seu foca é de 21 marchas, experimente a de 24 e veja se a coroa é maior atrás. Assim você vai crescendo e evoluindo o nível da bike. Algumas coroas são adaptadas e parecem de 27 marchas o que é melhor ainda. Só o conjunto de 27 marchas já passa de mil reais, sem contar o restante da bike.

O câmbio de 24 marchas custa cerca de 600 reais e dá pra fazer viagens sem muito problema, por não ser muito sensível. A última faixa e mais cara são as bicicletas acima de dois mil e 500 reais que são para competição ou que queria uma bicicleta extremamente precisa na troca de marcha. O fato é que quanto mais precisão no comando, a durabilidade do comando diminui, então o investimento é elevado e a manutenção é mais cara porque irá ter defeito mais rápido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *